terça-feira, 28 de junho de 2016

Evangelho do Dia (28/06/2016)



Evangelho do Dia (28/06/2016) - Mt 8,23-27*:

"Jesus subiu na barca, e seus discípulos o seguiram. Eis que no mar houve uma violenta tempestade, a tal ponto que a barca estava sendo coberta pelas ondas. Jesus, porém, dormia. Então os discípulos se aproximaram e o acordaram, dizendo: 'Senhor, salva-nos! Estamos morrendo!' Jesus lhes disse: 'Porque vocês são medrosos, tão fracos na fé?' Então, levantando-se, ameaçou os ventos e o lago, e houve grande calmaria. Os homens ficaram espantados e diziam: 'Quem é este, a quem até os ventos e o mar obedecem?'"

De acordo com a mentalidade da época, o mar era o lugar de onde se originavam as forças caóticas e os poderes promotores do mal. Quando Roma invadiu e conquistou a Palestina, ela veio pelo mar. Talvez os indígenas em 1500 sentiram a mesma coisa vendo os portugueses desembarcando em suas terras. O mal vinha pelo mar. Jesus dorme na barca, tranquilamente, apesar da tempestade que surge de uma hora para outra, ameaçando a integridade dos tripulantes da barca. Por sua vez, os discípulos o acordam, com medo de morrerem e pedem sua ajuda. Estão na mesma barca, mas há dois sentimentos: um, de tranquilidade; o outro, de agonia. Assim é também em nossa vida nos dias atuais? Como enfrentamos as tempestades que surgem de uma hora para outra na nossa caminhada? Somos medrosos e fracos na fé? Na maioria das vezes sim! E como superar esta fraqueza? Trabalhar em comunidade para não deixar a barca afundar, com respeito, diálogo e ir ao encontro do outro, ajudando mutuamente, por mais diferente que ele seja. Não temos o poder de acalmar os ventos e os mares, mas temos a inteligência de não destruir a natureza, criada por Deus: o planeta Terra e nós mesmos!

Emerson Sbardelotti

* NOVA BÍBLIA PASTORAL. São Paulo: Paulus, 2015.

2 comentários:

Unknown disse...

Muito bom, as vezes somos covardes mesmos.

Alessandra Sbardelotti disse...

Muito bom, as vezes somos covardes mesmos.