sexta-feira, 11 de junho de 2010

DICAS PARA VOCÊ VOTAR COM ÉTICA E SABEDORIA A PARTIR DE UMA PARÁBOLA

DICAS PARA VOCÊ VOTAR COM ÉTICA E SABEDORIA A PARTIR DE UMA PARÁBOLA

Certo dia, percebendo que o seu Espírito voltaria para o seio da Mãe Terra, o centenário filósofo, desejoso de deixar uma última instrução, reuniu os meninos e as meninas da aldeia onde habitava, foi para a beira do rio, e ao som da correnteza, pediu que se sentassem nos tocos por ali espalhados e admirassem a Natureza...deu um suspiro bem fundo, e contou-lhes a história mais antiga, aquela que seus longos dias de existência conseguiam lembrar com extrema clareza e precisão: O NASCIMENTO DO VOTO COM ÉTICA E SABEDORIA:

A Mãe Terra amamentava seus filhos e filhas e nada faltava. Tudo era comum e de todos. Em nenhuma Pólis havia necessidade. O paraíso era aqui, e as Pólis viviam em paz. Mas acontece, que os filhos e as filhas foram crescendo e se esquecendo dos ensinamentos da Mãe Terra: do cuidado e da fraternura com toda a Natureza...ela é a sua fonte primeira, dela tirará o húmus de sua personalidade, dela se tornará defensor; defendendo-a, estará protegendo toda a vida conhecida. Eles e elas se afastaram de tudo o que era bom e as Pólis começaram a guerrear entre si mesmas.
Cansada de ver seus filhos e filhas se matando, reuniu todas as Pólis no centro da floresta mais fechada e ali lhes falou uma última vez: A Natureza era eterna, mas vocês a contaminaram com sua ganância, com seu desamor, vocês a corromperam. A partir de agora, vocês escolherão por meio do voto, os melhores, as melhores, entre vocês para administrarem o uso da terra, o uso da água, o uso das energias vitais para o sustento próprio e das Pólis. A Natureza não mais se regenerará. Vocês serão os responsáveis pela vida e pela morte da Natureza.
E se afastando nunca mais sua voz foi ouvida e nem sua presença sentida em nenhuma parte habitada pelo ser humano.
As Pólis escolheram seus melhores cidadãos, suas melhores cidadãs. No princípio, eles, elas estavam preocupados com a defesa da vida em suas Pólis, mas, com o passar do tempo, ao enriquecerem, não se importavam mais com os apelos, com os gemidos das pessoas que a cada dia ficavam cada vez mais necessitadas do mínimo para sobreviverem, para existirem, enquanto seres humanos.
A corrupção cresceu no meio das Pólis e a situação ficou insustentável; ocorrendo várias manifestações de repúdio a tudo que estava acontecendo nas Casas Legislativas onde eram tomadas as decisões; mas o povo não podia nem se aproximar, mesmo sendo pacíficas as manifestações. Alguns representantes ainda tentavam fazer alguma coisa, mas a sólida maioria conseguia sempre aprovar projetos que priorizavam somente os interesses próprios.
A violência se tornou inevitável. O próximo passo seria a guerra. Os mais fracos sucumbiriam aos mais fortes.
Neste momento o velho filósofo parou, olhou para os meninos e para as meninas e suspirou mais uma vez, como se procurasse buscar bastante ar e fechou os olhos.
Alguém do grupo perguntou: não haveria uma forma de se evitar tudo isso? De fazer o retorno à Mãe Terra?
O velho filósofo abriu os olhos e se levantou, com a mão na imensa barba pensou...pensou e disse:
Não há uma fórmula milagrosa!
Não há uma saída perfeita!
Mas conheço um caminho: a ÉTICA E A SABEDORIA!
Ouçam essas minhas dicas se querem realmente defender a vida e retornarem à Mãe Terra:

1ª. Dica: CONHECER PROFUNDAMENTE O SENTIDO DA PALAVRA POLÍTICA.

Política denomina arte ou ciência da organização, direção e administração da pólis; aplicação desta arte aos negócios internos (política interna) ou aos negócios externos (política externa). Nos regimes democráticos,a ciência política é a atividade dos cidadãos e cidadãs que se ocupam dos assuntos públicos com seu voto ou com sua militância. O termo política é derivado do grego antigo πολιτεία (politeía), que indicava todos os procedimentos relativos à pólis, ou cidade-Estado. Numa conceituação moderna, política é a ciência moral normativa do governo da sociedade civil. Mas, política, é a arte de governar, é o uso do poder para defender os direitos de cidadania. O importante é o princípio ativo da política. É saber que a política é sempre, o modo pelo qual chega-se a decidir algo que não é particular, mas que diz respeito a toda uma coletividade, algo que é público.

2ª. Dica: CONHECER O PASSADO DO CIDADÃO, DA CIDADÃ QUE IRÁ LHE REPRESENTAR.

É de suma importância que todo o passado do cidadão e da cidadã que irá lhe representar na Casa Legislativa seja investigado e trazido à tona. O que era, o que pensava antes e o que pensa e é atualmente que o/a qualifica para ser um/a representante?
Qual é o posicionamento do partido político no qual se filiou? O seu pensamento é a favor da vida ou vota a partir de interesses próprios e aqueles do partido, e não do povo que confiou nele?
Representante honesto/a e ético/a não tem medo de protocolar em juízo a relação de bens materiais que possui. Todos sabem que tal relação de bens sempre aumenta depois que estão no exercício do poder legislativo, muitas vezes de forma suspeita.
Você lembra em quem votou nas últimas eleições? Ele/a continuará honrando o mandato dele/a, ou tentará uma nova legislatura? Se ele/a deixará a atual legislatura deixando-a incompleta, com certeza não presta para representar você na Casa Legislativa, ele/a está comprometido apenas com o próprio bolso e não com o bem estar comum.
Se o cidadão, se a cidadã renega o seu passado em concordância com os anseios do partido no qual se filiou, este/a não deve mais ser escolhido pelo povo, pois traiu o povo.

3ª. Dica: NÃO VOTAR NO CIDADÃO, NA CIDADÃ QUE DEFENDE A VIOLÊNCIA E A MORTE – DE QUALQUER ESPÉCIE.

O povo sabe quem realmente quer o bem estar comum, e quem quer apenas ter poder aquisitivo maior e melhor que os demais. Numa sociedade, cada dia mais discriminadora, e que exclui, a violência tem aumentado com enorme facilidade, pois não há leis nem mecanismos políticos, sociais, culturais e econômicos que possam frear este avanço. Em conseqüência disso, a morte, à cada dia bate mais forte nas portas de todos nós. A vida é mais importante do que a morte.
Se o cidadão, se a cidadã, aprova tudo o que seu partido propõe sem debater, sem questionar, tenha muito cuidado, ele/a está traindo o povo; é melhor que não seja eleito/a representante na Casa Legislativa, pois continuará semeando morte ao invés da vida.

4ª. Dica: NÃO VOTAR NO CIDADÃO E NA CIDADÃ QUE JÁ POSSUI MAIS DE UM MANDATO – O/A PROFISSIONAL.

Quatro anos de mandato é um período mais do que suficiente para mostrar pelas atitudes, no exercício do poder legislativo, que não é uma pessoa mentirosa, mas sim, preocupada com o bem estar comum e com a renovação dos quadros da política na Pólis, consciente que seu afastamento do cargo é prenúncio de boas vindas de novas lideranças também comprometidas com o povo.
O/a representante que se profissionaliza na política esquece as necessidades prioritárias da população e seu ego fica inflado, acreditando ser ele a única saída para os problemas da Pólis. Um cidadão, uma cidadã assim, não merece a confiança do povo.
O/a representante profissional tem medo de contrariar o seu partido e se omite em votar leis que beneficiem a população, e vota nos interesses próprios e do partido. Isto tem acontecido entre nós, dentro dos partidos de oposição, como também nos partidos que são da situação. Abra seus olhos e não se deixe mais enganar.

5ª. Dica: NÃO VOTE EM CIDADÃO, EM CIDADÃ, QUE FINGE SER ECUMÊNICO/A, MAS NO EXERCÍCIO DO PODER, PERSEGUE A SUA RELIGIÃO.

Haverá muitos lobos em pele de cordeiros se apresentando às Pólis. Falando ser uma pessoa ética, religiosa, com um posto eclesiástico fora de suspeita...Cuidado com estas pessoas, pois agora, na campanha, prometem trabalhar em nome da coletividade, que há apenas um Deus, mas na verdade, nos porões de suas Igrejas, fecham acordos obscuros que pretende denegrir a imagem de uma outra Igreja ou aprovarem leis que beneficie aquela denominação religiosa da qual participa.
A liberdade de culto religioso se existe de fato, deve ser respeitada. Se há criminosos nas instituições religiosas, estes devem ser banidos ou expulsos e processados judicialmente pelos magistrados de direito e não por Comissões Parlamentares de Inquérito que não possuem o poder legal de julgar ou prender qualquer cidadão, qualquer cidadã. Se isso ocorre, ocorre para denegrir a imagem de uma outra instituição religiosa ou por que os membros das referidas Comissões querem vencer no próximo pleito eleitoral e antecipam a corrida e a caça de votos.
As religiões devem ter apenas um único partido: a defesa da vida, onde ocorra o encontro e o diálogo nesta sociedade plural em que vivemos.
Se um/a líder religioso/a usa os meios de comunicação para perseguir esta ou aquela Igreja, esta ou aquela religião, este/a é um/a falso/a líder. Seu único objetivo é fazer antecipadamente a sua campanha eleitoral.
Se as Igrejas estão interessadas apenas no que podem lucrar apoiando este/a ou aquele/a cidadão/ã, se afaste delas, e reflita sobre as atitudes de seus/suas lideres religiosos/as, possivelmente, se não defendem a vida, estão contra o povo, em nome de um deus da morte, e não em nome de um Deus da Vida.

6ª. Dica: USE A ÉTICA E A SABEDORIA PARA VOTAR.

Vote em quem você realmente confia e que cumpre todas estas dicas dadas aqui. Elas são esclarecedoras. O/a representante ético/a e sábio/a, sabe que o povo tem sido enganado e traído descaradamente por cidadãos e cidadãs que não possuem uma ficha limpa, que não possuem uma só palavra, que se dizem convictos na religião que professam mas que mudam de posição quando percebem que o que defendem não lhes dará lucro, mordomia e estabilidade financeira.
Não tenha medo de dizer NÃO a todos/as representantes que aparecem no portão da sua casa, querendo comprar o seu voto, com caminhão de lajotas, remédios e consultas em hospitais, cestas básicas, churrascos de formatura, pagamento de contas em botecos da região, com a promessa de cargos comissionados nas Casas Legislativas.
Nada é mais importante do que uma consciência sábia e ética. Diga não. Agindo assim, você se torna mais um defensor da vida.
Vote em quem defende com todas as suas forças a Natureza. Nós dependemos dela para viver.

Depois disso, o velho filósofo, se levantou, abraçou os meninos e as meninas, um por um, uma por uma, e desceu pela beira do rio. Nunca mais foi visto. Algumas pessoas, dizem que ele encontrou a Mãe Terra, e esta, feliz por reencontrar um de seus filhos diletos, teria lhe dado a certeza do descanso eterno ao seu lado, e teria lhe agradecido muito pelos trabalhos efetuados na longa vida que vivera. Questionado se ele gostaria que Ela atendesse a algum pedido, ele não pensou duas vezes: CRIE PARLAMENTARES ÉTICOS/AS E SÁBIOS/AS para representarem com dignidade o nosso povo.
A Mãe Terra sorriu, abraçou o velho filósofo, e caminharam juntos.
Ainda se aguarda que a Mãe Terra atenda a esse pedido.


Emerson Sbardelotti
Ø Mestrando em Teologia Sistemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
Ø Autor do livro O MISTÉRIO E O SOPRO – Roteiros para acampamentos juvenis e reuniões de grupos de jovens. Brasília: CPP, 2005. Pedidos pelo site www.cpp.com.br.
Ø Autor do livro UTOPIA POÉTICA. São Leopoldo: CEBI, 2007. Pedidos pelo site www.cebi.org.br.

Um comentário:

giselle deeke disse...

Gostei dessa história! Vou compartilhar.pois estou realmente preocupada com estas eleições...estou cansada de tanta corrupção e, acho que no mínimo, posso passar esta história adiante. Obrigada por compartilhá-la.
Abraços...Gisèlle