quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

CARTA RESPOSTA A UM AMIGO INFIEL!

Carta resposta a um amigo infiel!

Paz e bem.

De qual diocese você é? Participa de qual pastoral? Você é a favor ou contra a TdL e a PJ?

Me fala um pouco aí da sua caminhada.

Lhe digo: não fiz e nem farei citações do e ao Papa João Paulo II e nem do e ao Papa Bento XVI, pois sei que a interpretação que eles deram e dão a Teologia da Libertação não é a mesma em que acredito. Os papas falam e escrevem a partir dos muros de Roma, não vivem de fato a realidade latino-americana, caribenha e brasileira, e isso, com certeza, não lhes proporcionam uma visão do todo da TdL e apenas extratos desta. E todos nós humanos estamos cabíveis aos erros, não importando qual seja o lado que possamos estar. E aqui para nós, segredo hein...os papas não são maiores que o Mestre de Nazaré, por mais que muitas pessoas em Nossa Igreja queiram e desejem que eles sejam, para legitimar certas ações, mas isso já é uma outra questão.
Antes de qualquer Teologia e também da TdL vem a Libertação, vem o anseio e o direito por Liberdade. Em Nossa América este desejo de libertação foi muito forte e evidente no final dos anos 60 e início dos anos 70, quando leigos, padres, religiosas, bispos eram assassinados, por serem a favor da Vida e contrários as Ditaduras Militares, estas, incentivadas e patrocinadas pelos presidentes estadunidenses, que sempre entenderam a Nossa América como um pomar, extensão da sua bandeira, nos negando a liberdade e fazendo propaganda contra contra todo e qualquer movimento popular que pudesse ter uma visão em que o pobre não tomasse o lugar de Deus, mas que o Reino seria primeiro dele.

Leonardo Boff, João Batista Libânio, Frei Betto, José Coblin, Carlos Mesters, Jung Mu Sung, Segundo Galilea, Gustavo Gutierrez, Pedro Casaldáliga, Paulo Evaristo Arns, Hélder Câmara, Rubem Alves, Paulo Freire, Jon Sobrino, José Maria Vigil entre tantos outros pensadores e divulgadores da TdL em seus escritos dizem isso muito bem. Há necessidade de teólogos assim na Igreja. Há necessidade da Teologia da Libertação na Igreja sim. Até porque meu caro, não há mais uma TdL, mas sim Teologias da Libertação e não só mais em Nossa América e também na África, na Ásia, na Oceania.Quando Gustavo Gutierrez e Leonardo Boff foram notificados pela Santa Inquisição, ops, Santo Ofício, ops, Congregação para Doutrina da Fé, e mais recentemente Jon Sobrino, o que se notificou foi toda a obra, ou apenas partes da obra? Partes da obra. Mesmo assim o que se notificou foi o ponto de vista destes autores, que é diferente, não é contrário ao da Igreja...mas dentro da Igreja ainda é muito difícil aceitar o diferente, ir de encontro e estabelecer um diálogo fraterno...e essas incompreensões sempre irão acontecer, infelizmente.

Entendo que Clodovis Boff tenha se manifestado, apontando alguns exageros cometidos pela TdL no passado, foi criticado por todos os teólogos da libertação, mas entendo, que dentro de qualquer movimento, de qualquer grupo, de qualquer equipe, avaliar a caminhada é necessário. Talvez ele esteja passando por crises internas, o que não me assusta, pois todos nós temos crises. Mas não dá para pegar toda a sua obra a respeito da Opção pelos Pobres, sobre TdL, e jogá-la fora, seria infantilidade e burrice. Vejo a crítica como proposta de mudança para os anos que virão. Em que novos teólogos da libertação irão aparecer, não tenha dúvidas disso. Mesmo que os papas não queiram, mesmo que dentro da Nossa Igreja não queiram, a TdL está mais forte do que nunca. Estamos calados mas jamais silenciados. E esse silêncio é que continua a incomodar, pois vez ou outra sai da boca de um padre, de um apresentador, de uma leiga, de um professor, de um bispo que a TdL está morta. Coitados, são dignos de pena, não sabem o que falam. Ela está mais viva do que nunca e sabe por que meu caro, outro segredo, Jesus de Nazaré está a cada dia mais vivo entre nós. Enquanto houver uma única pessoa passando fome, sendo morta a mando ou nos corredores dos hospitais, sendo discriminada por causa da sua cor e opção sexual, de fato o Reino não terá chegado em nosso meio. É por causa do que ele falou e fez na Palestina a mais de 2000 anos que continuamos aqui proclamando a vida e denunciando as injustiças... e esse conceito de justiça é muito anterior a Karl Marx.Infelizmente falta a muitas pessoas na mídia católica, ler de fato os documentos do magistério, os livros dos autores da TdL, para não ficarem repetindo como papagaios bêbados, extratos do todo, e sim puderem dialogar e debater com coerência e respeito, e não como na maioria, por exemplo, dos sites católicos espalhados aí na internet, que chamam tais pensadores da TdL de amigos de Satanás, comunistas, hereges, bispos vermelhos, inimigos de Roma e do Papado...isso no mínimo é inveja, pois não possuem intelecto suficiente para escreverem nenhuma carta, nenhum recado por correio eletrônico, quanto mais um livro sobre determinado tema da Teologia.A RCC não é um movimento novo, está aí a mais de trinta anos. Tem seus pontos positivos e seus pontos negativos. A CNBB já se pronunciou sobre ela e a orientou em documento que pode ser encontrado no site desta.Infelizmente na RCC como em muitas comunidades e equipes há pessoas fundamentalistas, fanáticas religiosas, que querem ser a palavra final, a verdade absoluta, e sabemos que verdade absoluta não existe.A espiritualidade sugerida pela RCC é diferente da espiritualidade sugerida pela TdL, ambas podem conviver muito bem dentro da Nossa Igreja, se seus seguidores souberem diálogar e tentarem perceber que há mais pontos que nos unem do que nos separam.

Não tenho problema nenhum em assessorar e falar da TdL para um grupo da RCC, mas não me converto e nem me converterei a ela nunca, pois sua prática de fé é bem distante da minha.
É mais fácil fazer parte da RCC do que do partido político, do que do movimento popular, do que do MST, pois o compromisso é fundamentalmente subjetivo e individualista, não visa a coletividade, não constrói e nem propõe mudanças na sociedade em que vivemos.

A imagem de Deus sugerida pela RCC não me agrada, não me atraí, não me coloca em oração, nem por isso saio por aí falando mal como vários seguidores da mesma fazem em relação à TdL. E só posso acreditar que a TdL está no caminho certo, pois se há críticas e perseguições...a salvação está próxima, mesmo assim, há muito trabalho a fazer.

Espero ter lhe ajudado.

Na paz militante do Reino da Vida.

Emerson Sbardelotti

Estudante do curso superior de Teologia no Instituto de Filosofia e Teologia da Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo.

Coordenador do Instituto Capixaba de Juventude do Estado do Espírito Santo - ICJ-ES.

Autor do livro: O MISTÉRIO E O SOPRO - roteiros para acampamentos juvenis e reuniões de grupos de jovens. Brasília:CPP, 2005.

Autor do livro: UTOPIA POÉTICA. São Leopoldo: CEBI, 2007.

Nenhum comentário: